SEMPRE MÚSICA . . .

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

[] The Andrews Sisters

As queridinhas da América, sem dúvida foram estas três irmãs, que desde pequenas já cantavam como um trio.

Fizeram sucesso a partir do final dos anos 30, e continuaram nas próximas décadas a cantar em todas as rádios, gravar sem parar, fazer filmes e viajar por todos os Estados Unidos.

Houve uma época que a formação de trio vocal feminino foi muito popular na América, mas sem dúvida, as Andrews Sisters se destacaram de longe.

Uma morena, uma loura e outra ruiva, como convinha a um bom trio feminino e donas de um entrosamento vocal perfeito; talvez o fato de cantarem juntas desde muito pequenas tenha contribuído e tornado a técnica impecável.

Nas biografias e encartes de discos, há uma certa divergência quanto as datas de nascimento das irmãs, mas é pequena, coisa de 1 ano ou 2...

A maioria dá como sendo 1911, 1915 e 1918 e nasceram em Minnesota.
[na foto,da esquerda para a direita, Patty, a loira e mais jovem, La verne, a ruiva e mais velha, e na parte de baixo da foto, Maxene, a morena].

Até o presente momento, somente a mais nova, Patty está viva, aos 89 morando com seu marido com quem está casada há 55 anos.

The Andrews Sisters, desde o início da carreira ganharam a simpatia dos americanos e dos colegas de profissão, pela disciplina, pela dedicação e aplicação ao trabalho.Tornaram sucesso uma infinidade de músicas, estiveram em todas as paradas americanas e européias.
Fizeram escola e deixaram seguidoras mundo afora...A Itália, por exemplo teve o seu "Trio Lescano", com o mesmo arranjo vocal; é como se as Andrews Sisters cantassem em italiano. Bem bom de ouvir!

Venderam mais de 75 milhões de discos no mundo inteiro, e colocaram mais músicas nas listas de “10 Mais” que Elvis Presley e Beatles; tanto em quantidade, quanto em tempo de permanência.

Durante a II Guerra Mundial, viajaram para levantar o ânimo das tropas aliadas = como era de praxe na época = e foram por todos os Estados Unidos, estiveram na Itália e na África.

Muitíssimo populares e donas de grande credibilidade junto ao público consumidor, tornaram-se competentes “garotas-propaganda” dos produtos mais variados; desde goma de mascar aos automóveis Nash, Sopas Campbell’s, motores Evinrude, Kelvinator, aparelhos de rádio, televisores e máquinas de lavar...

Em 1953 houve um certo estresse entre elas e resolveram parar de cantar. Patty, a mais jovem queria ter uma carreira solo e as outras não concordavam.
Voltaram a se reunir em 1956 e continuaram como um trio até 1967, quando a mais velha, a ruiva La Verne morreu de câncer.

Arranjaram uma substituta e continuaram a carreira, gravando sempre, viajando e aparecendo nas televisões todas. Gravaram 47 músicas tendo Bing Crosby como "crooner de luxe"... Mas em 1995, Maxene, a morena, morre de um infarto aos 79 anos, quando estava em férias em Cape Cod.

Em 1972, graças a
Bette Midler, The Andrews Sisters tiveram voltados para si o interesse e a curiosidade de um público mais jovem, pois Bette gravou no seu disco “The Divine Miss M” um dos números musicais que mais identificam o trio: "Boogie Woogie Boogle Boy".
Além do fato de Bette Midler ser indiscutivelmente uma cantora "top de linha", ela triplicou sua voz nesta gravação, fez uma harmonia vocal e instrumental para recriar toda a atmosfera do "som" das irmãs Andrews.
Sucesso imediato, lógico!

Foi uma injeção revitalizante, pois continua até hoje uma espécie de culto à formação de trio feminino, com a harmonia vocal como fizeram e muito bem, as irmãs Andrews...as queridinhas da América.

2 comentários:

odilon disse...

Ora, Roberto propaganda dos automóveis Nash! Eles pararam de ser produzidos em 1938, pelo menos com este nome - passou a ser Nash-Kelvinator. Imagine as três empoleiradas num Nash Ambassador Six, presente da companhia pelo aumento de faturamento no ano de 1937.

Otávio disse...

Para mim a “Era do Radio” tinha um nome – The Andrews Sisters. Elas foram tudo de bom. A foto é 10.