SEMPRE MÚSICA . . .

sábado, 10 de novembro de 2007

[] Garden Party


Quem nunca foi a uma festa num jardim à beira de uma piscina, com uma noite quente, perfumada e uma lua de Walt Disney?
Ou mesmo um clube todo enfeitado, daqueles que só existem nas cidades de interior, um baile de debutantes, uma formatura ou mesmo qualquer motivo para se fazer uma festa?

Sempre houve uma orquestra tocando alguma coisa. E quase toda orquestra do mundo já tocou “Moonlight Serenade” em algum momento, e por algum motivo.
Glenn Miller e sua orquestra tornaram-se um exemplo e quase um sinônimo de um baile classudo, independente da idade dos dançarinos.
Moonlight Serenade é uma melodia que a maioria das pessoas que gostam de música sabem assobiar mesmo que não lembrem o nome da música nem o nome do maestro.

Não faz mal... o que importa é que esta orquestra resiste a todos os modismos e está aí, sendo executada em novelas da TV Globo,sempre que se quer reforçar um adeus, um começo de romance ou uma simples promessa no ar.

E esta música, que inicialmente ficou conhecida apenas pela versão instrumental, ganhou belas gravações cantadas por Carly Simon, Mina, e nos anos 80 Thelma Houston – umas das rainhas da disco music – fez uma bonita e merecida homenagem à atmosfera das Big Bands.

É bom lembrar que Glenn Miller e sua orquestra desapareceram nos anos 40, quando voltavam de avião depois de uma excursão em Paris.
O avião simplesmente desapareceu e nunca se encontrou o menor vestígio...falou-se até em Triângulo das Bermudas e coisas do gênero.

Talvez o mistério e a tragédia que envolvem o seu desaparecimento tenham contribuído para tornar eterna esta melodia,esta orquestra e esta época...

2 comentários:

odilon disse...

Quantas lembranças dos garden parties. Agora viajei no tempo. O ano não posso publicar pois seria comprometedor. Jardins do Contry Club de POA eu, jovem e esbelto, com o mundo pela frente, partner de uma candidata do Glamour Girl e a repetição infinita de Moonlight Serenade. Como eu publiquei no post de memória existem situações que a gente deveria esquecer voluntaria ou involuntariamente.

Mas às vezes não é possivel, as lembranças assaltam a memória impiedosamente.

Otávio disse...

Tudo o que aconteceu nos grandes centros nos anos 50, lá nos fundões de Minas Gerais, aconteceu no início dos 60. Eu era criança ainda e lembro-me bem o que eram os preparativos para os bailes no clube local. Era quase uma noite de gala. Moonlight Serenade com certeza não poderia faltar na seleção da orquestra.