SEMPRE MÚSICA . . .

quinta-feira, 17 de abril de 2008

[] Mireille Mathieu [1946]

Era uma vez um casal muito simples, na cidade de Avignon, na França. Ele se chamava Roger e ela, Marcelle. Tiveram 14 filhos, e a mais velha se chamava Mireille...

Roger trabalhava muito e pesadamente na pequena empresa familiar que seu pai tinha, uma marmoraria, e o trabalho que Roger executava era o de quebrar pedras.
Literalmente este, quebrar pedras...

Roger tinha uma voz bonita, de tenor e seu sonho era o de ser cantor lírico, pois era admirador de árias de óperas. Mas, com uma família grande assim, ele sublimou este sonho e ficou muito feliz quando sua primogênita, Mireille, desde muito cedo, deu mostras mais do que convincentes que tinha talento musical e que queria ser uma cantora.

Um pouco precoce
, Mireille cantava na igreja já aos 4 anos e com esta idade cantou na Missa do Galo da Igreja Matriz de sua cidade.

E já nesta época, ela gostava de reunir a família e os amiguinhos de colégio para que servissem de platéia para ela, que fazia verdadeiros
recitais com o repertório de seu grande ídolo, Edith Piaf.

A família de Mireille vivia com um orçamento bastante apertado, pois num total, eram 16 pessoas para morar, comer, estudar, se vestir, e a função de Marcelle, a mãe, era fazer milagres e fazer render no mercado os francos semanais que Roger ganhava.

Adolescente ainda, Mireille vai trabalhar numa fábrica de envelopes para ajudar nas despesas domésticas e poupar algum dinheiro para pagar as lições de canto que pretendia ter, pois estava mais do que decidida a se tornar uma cantora, uma grande cantora, uma verdadeira estrela.

Participou de alguns programas de calouros, mas um, especialmente, onde não foi a vencedora, pois o público preferiu outra candidata, mudaria sua vida para sempre...

Um dos maiores empresários e agente de cantores, Johnny Stark, assistiu este pro
grama e com o olho clínico que sua função exigia, procurou por Mireille. Johnny Stark já tinha também como cliente, o maior ídolo musical da França, pelo menos naquela época, o cantor de rock Johnny Halliday, marido de outra cantora e queridinha dos franceses: Silvie Vartan.

Johnny Stark teve várias e longas conversas com Mireille, jogando limpo, e explicando todas as dificuldades da profissão,
mas que se ela estivesse disposta a trabalhar muito, ensaiar muito, estudar muito e fizesse o que ele mandasse, ele a transformaria numa grande estrela, que seria conhecida e admirada em toda França.

Mireille então foi entregue ao maestro Paul Mauriat e ao compositor André Pascal, que começaram a aparar as arestas, a ensinar Mireille a não gritar, a usar melhor sua potência vocal, colocar a voz mais adequadamente e respirar de maneira correta.

Ao mesmo tempo, Mireille tomava aulas de francês e de inglês, além de boas manieras, comportamento social, como caminhar num palco, num estúdio de televisão, como dominar a distância certa de cantar ao microfone e todas estas inúmeras pequenas-grandes coisas, que fazem a diferença...

Talvez seu agente, certo de que tinha descoberto um tesouro, já estivesse de olho numa carreira internacional para Mireille, e provavelmente quisesse apresentá-la ao mundo, da melhor forma possível.

André Pascal compôs para ela “Mon Crédo”, “Viens dan ma rue” e “C’est ton nom” que foram gravadas num 45 rpm e logo se transformaram em sucesso.

Depois de se apresentar na tv em 1965, e de sua estréia no “Olympia” em 1966, Mireille já era uma celebridade de domínio público. Foi saudada pela imprensa com grande espalhafato e anunciada como a “próxima Edith Piaf”, pela evidente semelhança de seu timbre de voz com o de Edith, morta três anos antes.

Em 1967 o IFOP- Instituto Francês de Opinião Pública, fez uma enquete, que apontou Mireille Mathieu como a cantora preferida dos franceses naquele ano...e
em 1968 Mireille esteve aqui no Brasil, se apresentando na TV Record.

As gravações que Mireille fez das músicas de André Pascal, além de conquistarem toda a França e quase toda a Europa, especialmente o Reino Unido e a Alemanha, abriram as portas da América do Norte e México para Mireille...

Sua ve
rsão “La dernière valse”, que era um sucesso em inglês do cantor britânico Engelbert Humperdinck – “The Last Waltz”- foi uma ponte segura para tornar Mireille muito popular no Reino Unido.

E assim, um hit após o outro, Mireille foi parar no Canadá e nos Estados Unidos, onde se apresentou no famoso e indispensável “The Ed Sullivan Show”
e no outro dia, 50 milhões de pessoas já conheciam Mireille Mathieu.

Cantou também em Las Vegas, ao lado de Dean Martin e Frank Sinatra e foi um sucesso quase surpreendente. De público e crítica.

Atualmente ainda muito requisitada, continua se apresentando pelo mundo, fazendo turnês regularmente pelo Carnegie Hall de Nova York, no “Sport Palais” do Canadá ou no “The Ice Palace” de San Petersburg.

Nos seus mais de 40 anos de carreira, Mireille já vendeu mais de 150 milhões de cópias de seus discos, gravou mais de 1200 músicas, em 9 línguas e foi a primeira artista do ocidente a fazer um concerto de música popular na China.

Ao longo de todos estes anos, ela cantou e gravou com nomes como Paul Anka, Charles Aznavour, Barry Manilow, Tom Jones, Julio Iglesias e o alemão Peter Alexander.

Em 1993 gravou “Mireille Mathieu chante Edith Piaf”, onde canta 13 músicas das mais famosas e populares do seu ídolo eterno.

E
m 2005 comemorou seus 40 anos de carreira, com uma grande apresentação no “Olympia”, onde foi gravado seu primeiro DVD, “Mireille a l’Olympia”, além de um CD, que acabou lhe dando o prêmio de “Disque d’Or”...

No ano passado, 2007 participa de um super show de televisão na Alemanha, um dos países de público mais fiel, para receber o prêmio de “Melhor Cantora Internacional do País”.

Nada mal. Além disso, a filha de Roger e Marcelle realizou seu sonho de menina de Avignon e virou uma estrela internacional.

Seu público não é mais aquele de mentirinha, de irmãos e amiguinhos da escola.

A “demoiselle d’Avignon” chante pour le monde entier...



[@] Veja Mireile Mathieu
clicando aqui !! []

[ cantando "La dernière valse"]
[ a última ilustração é de Richard Poux - Nice ]

5 comentários:

BANDEIRAS disse...

Oi,
Obrigada por me linkar !!!
Continuo garimpando em teu blog.
Mireile Mathieu é demais, voz maravilhosa, suave, limpa.
Parabéns pelo bom gosto
Bjs !

Projetor disse...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my blog, it is about the Projetores, I hope you enjoy. The address is http://projetor-brasil.blogspot.com. A hug.

Nivvy disse...

Adorei sua postagem, era exatamente o que eu procurava. Parabéns pela qualidade do seu texto.
Saudações
Claudinha Luna

Antonio Luiz disse...

Sempre admirei Mireille Mathieu ;Grato pela potagem de informaçõess

Anônimo disse...

Convido todos a participar do blog MA MUSIQUE ( http://andre-emilio.blogspot.com/ ) e da comunidade Paul Mauriat Orchestra ( http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=3199799 ). São histórias e coisas sobre a primeira arte. Aquela que exprime a mais alta filosofia, a que a razão dificilmente compreende, a que nunca revela seu último segredo, a que persuade docemente: a música.
_
São mais de 10 gigas de material disponível, 80 vídeos, toda a discografia do maestro de 1957 a 2009, 1500 músicas em packs ou com para baixar individualmente, 1600 capas de álbuns, biografia, comentários, críticas e mais. 90% dos arquivos está em excelente qualidade.
_
Todos bem vindos.